O ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Eliseu Padilha, informou hoje (21) que o governo estuda uma forma de tornar os preços dos combustíveis mais “previsíveis”. Em entrevista dada antes de entrar na reunião que está sendo realizada nesta noite no Palácio do Planalto, Padilha disse que o governo está preocupado com o aumento constante do preço dos combustíveis, mas ressaltou que ainda não há uma definição do que será feito.

“O que vamos tentar é ver se encontramos um ponto em que possa ter um pouco mais de controle nesse processo para que os maiores interessados, o cidadão brasileiro e os transportadores, possam ter previsibilidade em relação ao que vai acontecer”, explicou o ministro.

Ele evitou, porém, dizer se o governo estuda uma forma de controlar o aumento por meio de uma redução no imposto.

O ministro lembrou que o Brasil adota uma política internacional de preços que acompanha as variações do dólar e do petróleo para definir o valor do combustível.

“Vamos analisar, ver o que é possível fazer. Nós temos uma política internacional de preços que a Petrobras acompanha diariamente. Com o dólar subindo e o petróleo subindo internacionalmente, por certo tínhamos que ter um aumento dos combustíveis. O que vamos tentar é ver se encontramos um ponto em que possa ter um pouco mais de controle nesse processo”, acrescentou Padilha.

Presidente Temer comanda reunião do Comitê Federal de Assistência Emergencial

O presidente Michel Temer comanda reunião do Comitê Federal de Assistência Emergencial (Marcos Correa/PR)

A reunião desta noite no Palácio do Planalto foi convocada em caráter de emergência para discutir o tema. Além de Padilha, foram chamados para participar da conversa com o presidente Michel Temer os ministros Moreira Franco, de Minas e Energia; Eduardo Guardia, da Fazenda; e Esteves Colnago, do Planejamento; e o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid.

O encontro ocorre no momento em que caminhoneiros deflagraram uma paralisação por tempo indeterminado e fizeram bloqueios em rodoviais em pelo menos 10 estados. Os caminhoneiros se queixam do reajuste das tarifas do diesel.

De manhã, os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), anunciaram para o dia 30 uma Comissão Geral no Congresso para acompanhar os desdobramentos da política de reajuste de preços de combustíveis no país.

Fonte: Economia EBC