SÃO PAULO, SP, E BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O governador da Bahia, Rui Costa (PT), não participará da inauguração do aeroporto Glauber Rocha, na cidade Vitória da Conquista, nesta terça-feira (23).
Em vídeo divulgado nas redes sociais nesta segunda-feira (22), ele afirma que o evento foi transformado em uma “convenção político-partidária” pelo governo federal.
“Exercitando a boa educação, convidei o governo federal a se fazer presente no ato de inauguração nesta grande festa. Infelizmente, confundiram a boa educação com covardia, e desde então, temos presenciado agressões ao povo do Nordeste e ao povo da Bahia”, diz ele na gravação.
No último fim de semana, o Planalto dobrou o número de convidados da cerimônia de abertura –originalmente uma festa fechada para 300 pessoas–, deixando apenas 100 convites para o governador baiano. Além disso, escalou rivais do políticos de Costa para discursar no evento.
“A medida anunciada [realizar um evento fechado, com convidados do governo federal] é excluir o povo da inauguração, fazer uma inauguração restrita a poucas pessoas, escolhidas a dedo como se fosse uma convenção político-partidária. Não posso concordar com isso”, afirma o governador, que também agradece no vídeo aos ex-presidentes Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) e ao ex-governador da Bahia, Jacques Wagner (PT).
“Por isso, não vou comparecer à inauguração do aeroporto que o povo da Bahia construiu, que o governo do estado construiu. Porque entendo que o Brasil precisa de paz para crescer e para gerar emprego”, completa.
O governador baiano e o presidente da República travam uma disputa de bastidor pela paternidade da obra do novo terminal aéreo, no município que fica a 518 km da capital baiana, Salvador.
Com um investimento de R$ 106 milhões, sendo R$ 75 milhões do governo federal –segundo Costa,não houve repasses para a obra na gestão Bolsonaro– e R$ 31 milhões do governo do estado, o aeroporto tem capacidade para tender até 500 mil passageiros por ano.
Em uma peça publicitária, o governo estadual reivindica a autoria do terminal. Nos bastidores, contudo, deputados da oposição e até o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), tentam dividir a autoria e os louros da obra.
ACM Neto reuniu-se em Brasília com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, para organizar a participação de Bolsonaro na cerimônia.
O caldo entornou após a crítica de Bolsonaro a nordestinos, flagrada em áudio vazado em evento na sexta-feira (19).
Nele, o presidente fala sobre “governadores de paraíba” e cita o governador do Maranhão Flávio Dino (PC do B). “Não tem que ter nada para esse cara”, diz. Mais tarde, Bolsonaro afirmou que fazia crítica direcionada aos governadores do Maranhão e da Paraíba, João Azevedo (PSB).
“Quero reafirmar o orgulho de ter nascido na Liberdade. O meu profundo orgulho de ser baiano, de ser nordestino. Nordestino que acima de tudo é um resistente, um trabalhador”, afirma Rui Costa no vídeo divulgado nesta segunda.
A inauguração começará com a chegada do avião presidencial com Bolsonaro, que vai aterrissar no voo inaugural do aeroporto.