SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O governador de Porto Rico, Ricardo Rosselló, disse neste domingo (21) que não vai concorrer à reeleição e que deixará o cargo de chefe do seu partido, o Novo Partido Progressista. Contudo, seguirá como governador até o fim de seu mandato.
O anúncio, feito em um vídeo na página do mandatário de centro-direita em uma rede social, acontece após nove dias de protestos depois que foram divulgadas mensagens enviadas por ele em chats privados nas quais faz críticas e piadas preconceituosas.
Nas conversas, feitas em um grupo fechado de 12 homens no aplicativo Telegram, ele ataca outros políticos, jornalistas e artistas do país, como Ricky Martin e Bad Bunny.
Os diálogos foram revelados no dia 13 pelo CPI (Centro de Jornalismo Investigativo) de Porto Rico, que teve acesso a 889 páginas de chat, nas quais políticos compartilham memes, piadas e xingamentos sexuais.
Em uma das mensagens, Rosselló se refere a um jornalista citando uma cena de sexo oral. Há também frases depreciando mulheres e obesos. 
Em outra conversa, um funcionário do governo diz que “[o cantor] Ricky Martin é tão machista que transa com homens porque as mulheres não lhe servem. Puro patriarcado”.
“Estou consciente da insatisfação e do mal-estar que sentem [em relação às mensagens]”, disse Rosselló no vídeo divulgado neste domingo. “Cometi erros e sou um homem de bem que tem um grande amor pela ilha. Mas reconheço que desculpar-me não é suficiente”, completou, antes de anunciar a sua renúncia da chefia do partido.
Rosselló, 40, disse ainda que o Executivo vai seguir trabalhando e “prestando serviços aos cidadãos” nos meses restantes de seu governo. As eleições se dão por voto direto e acontecem a cada quatro anos. O próximo pleito é em novembro de 2020.
Um representante parlamentar de Porto Rico criou um grupo independente na sexta (19) para investigar se os chats constituem crimes e se poderiam levar a um impeachment. O painel tem dez dias para apresentar os resultados. 
“Preciso respeitar a ordem constitucional e dar boas-vindas ao processo iniciado pela Assembleia Legislativa, que irei enfrentar com toda a verdade e a força de maneira responsável”, disse Rosselló.