SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A startup VisitNow desenvolve plataforma que incentiva promoções para reservas de hotéis de última hora. Esse modelo, conhecido como “last minute” (último minuto), é pioneiro no Brasil. O aplicativo estará disponível no Google Play e na App Store a partir da semana que vem.
A plataforma pretende oferecer benefícios tanto ao setor hoteleiro quanto ao consumidor. Segundo os criadores,  o viajante poderá reservar um quarto de última hora com preços mais em conta, ocupando um apartamento que permaneceria vazio e, portanto, oneroso ao estabelecimento. Os hotéis que aderirem terão de fazer promoções com economia de pelo menos 15 % no custo das acomodações.
O aplicativo usará dados de geolocalização para enviar pushes (notificações) aos usuários sobre vagas disponíveis nas proximidades com preços promocionais. A plataforma também informará à rede hoteleira os clientes potenciais próximos dos estabelecimentos, como forma de estimular as ofertas.
Aproximadamente 44% dos quartos de hotéis do Brasil ficam sem hóspedes todas as noites, gerando despesas, segundo o hoteleiro Bruno Guimarães, um dos fundadores da VisitNow. Segundo ele, a plataforma reduzirá essa ociosidade.
Totalmente online, a VisitNow poderá ser gerenciada pelos hoteleiros em tempo real pelo celular ou computador.
A viabilidade da plataforma foi estudada por dois anos e incluiu análise do mercado hoteleiro brasileiro. Foram mapeados clientes que não se planejaram  e procuraram descontos. Segundo Guimarães, ficou constatado que a procura por vaga na última hora já é algo comum entre consumidores de 18 a 40 anos. Mais de 50% das pessoas que reservam hotéis fazem as buscas na semana da viagem e, muitas vezes, à noite, quando as centrais de turismo já fecharam.
Os estabelecimentos terão de pagar uma taxa fixa de R$ 5 para cada transação. O hóspede, por sua vez, terá de pagar R$ 10. A ideia, segundo Bruno, é lucrar com a venda em escala.
Guimarães diz que a vantagem é que esse valor é abaixo do cobrado pelas agências de viagem online, que têm taxas de até 30% de comissionamento. “O consumidor paga R$ 10, mas tem um desconto de 20% no valor final, o que torna o negócio mais atrativo”, diz.
Os criadores da ferramenta também dizem que vão garantir no aplicativo espaço para reservas com antecedência, mas, nesses casos, os descontos não são obrigatórios.
Os desenvolvedores se concentram, por ora, no cadastro da rede hoteleira. Guimarães afirma que a plataforma já conta com 3 mil hotéis. Eles esperam aumentar o número para 4 mil até o fim do ano com pelo menos 30 mil downloads do aplicativo. A expectativa é levar a plataforma como negócio para outros países.