SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Rede vai recorrer ao STF (Supremo Tribunal Federal) da decisão do presidente da corte, Dias Toffoli, que suspendeu investigação contra o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).
O magistrado determinou a paralisação de todos os processos judiciais nos quais dados bancários de investigados tenham sido compartilhados por órgãos de controle como o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) sem prévia autorização do Judiciário.
O procedimento que investiga se Flávio Bolsonaro desviou dinheiro de seu antigo gabinete na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro) se encaixa na premissa.
A Rede apresentará ao tribunal uma ADPF (Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental) e pedirá que o caso seja redistribuído a outro ministro em agosto, quando o STF volta do recesso.
Segundo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), a medida de Toffoli “impede o funcionamento do Coaf como instituição de controle de atividades financeiras até novembro [quando o mérito do compartilhamento de dados será julgado de forma definitiva).