SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Um soldado da Polícia Militar, que estava de folga, foi morto a tiros quando tentou impedir um assalto, por volta das 22h45 desta terça-feira (16), em um bar no Capão Redondo (zona sul da capital paulista). Até a publicação desta reportagem dois suspeitos não haviam sido identificados. 
Segundo imagens de uma câmera de monitoramento, dois ladrões entram no bar e anunciam o assalto. Um deles, com arma em punho, ameaça as vítimas, enquanto retira objetos dos bolsos dos clientes, da mesma forma que o outro ladrão, que estava desarmado nas imagens. 
A ação dos bandidos dura cerca de um minuto e meio, quando o PM Fábio Júnior Lisboa, 33 anos, entra no bar com uma arma em punho. Ainda segundo a câmera de monitoramento, o policial dá dois disparos e, em seguida, a captação das imagens é interrompida. 
De acordo com boletim de ocorrência, o soldado teria anunciado ser policial quando entrou armado no comércio. Na sequência, o ladrão que portava uma arma reagiu e atirou duas vezes contra o soldado. A dupla de criminosos fugiu em seguida, correndo. Lisboa foi encaminhado ao hospital do M’Boi Mirim, mas não resistiu.
Os ladrões levaram das vítimas cartões de crédito, cordões, cerca de R$ 700 em dinheiro, além de uma chave de carro. A arma do policial, uma pistola calibre ponto 40, foi apreendida para ser submetida a perícia. 
O caso foi registrado no 47º DP (Capão Redondo), mas será investigado pelo 92º DP (Parque Santo Antônio). 
Outro caso O Agora publicou, no início de maio deste ano,  que um policial militar de folga morreu após ser baleado no rosto, com a própria arma, no Jardim São Luís (zona sul da capital paulista). Esta foi, na ocasião, a segunda morte de PM ocorrida em dois dias na zona sul de São Paulo. 
Segundo a PM, o soldado Fábio de Oliveira Silva, 40 anos, se envolveu em uma briga em um bar na rua Joaquim Dias. Durante a confusão, ele baleou dois homens, um na mão e outro na perna.
Segundo a SSP (Secretaria da Segurança Pública), sob a gestão João Doria (PSDB), os dois feridos “tentaram desarmar o policial de folga durante uma discussão”. As circunstâncias em que a briga começou ainda são apuradas pela Polícia Civil.
Enquanto os dois suspeitos eram socorridos, ainda segundo a polícia, o soldado foi desarmado e levado para uma viela, onde foi baleado no rosto, com a própria arma.