SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A OMS (Organização Mundial da Saúde) declarou nesta quarta-feira (17) o atual surto de ebola na República Democrática do Congo uma “emergência de saúde pública de interesse internacional”. A classificação só é utilizada para epidemias mais graves, que podem se espalhar para outros países.
Desde que a epidemia começou, há cerca de um ano, ao menos 2.512 pessoas foram infectados. Destas, 1.676 morreram. 
O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, disse que aceitou a recomendação de um comitê formado por 11 especialistas internacionais ao classificar como emergencial o surto da doença. Apesar disso, ele recomendou que as fronteiras do Congo não sejam fechadas.
Este é o segundo maior surto de ebola da história; o mais grave acometeu a África Ocidental (Guiné, Libéria, Serra Leoa) em 2014 e 2015, quando morreram 11.310 pessoas das mais de 28 mil infectadas. O episódio também foi declarado como emergência global.
No domingo (14), um caso do vírus foi registrado em Goma, cidade de 1 milhão de habitantes próxima à fronteira com a Ruanda. A OMS declarou o caso “um divisor de águas”, e alertou para o risco do espalhamento do vírus para o país vizinho.
As emergências internacionais anteriores foram a gripe H1N1 (2009), a propagação do vírus da pólio (2014) e o vírus da zika (2016).