SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O Fluminense está muito perto de contratar Nenê e, assim, cumprir um dos principais desejos do técnico Fernando Diniz. O meia está sem treinar no São Paulo, já liberado para buscar um novo clube, e viu o clube do Morumbi buscar uma resolução rápida de seu caso. Com o acerto entre as partes encaminhado, a tendência é que a transferência seja selada entre esta quarta (10) e a quinta-feira (11).
“A gente vem conversando bastante com os jogadores (os dispensados) e os agentes deles. Estamos preocupados com a situação deles. Sabemos que não é boa essa indefinição. São jogadores de qualidade, que colaboraram com a gente e devem concluir negociações que estão em andamento em breve. Vamos esperar o posicionamento deles nas próximas semanas”, disse Raí, diretor-executivo de futebol do São Paulo, em entrevista coletiva realizada na quarta.
Antes da reapresentação do elenco na semana passada, o São Paulo comunicou que Nenê, Jucilei e Bruno Peres não faziam mais parte dos planos da comissão técnica. O trio foi dispensado, mas tinha a liberdade de treinar em horários diferentes do grupo principal. Jucilei foi o primeiro a deixar de vez a rotina no CT da Barra Funda. Agora foi a vez de Nenê.
Ele esteve no Rio de Janeiro nos últimos dias e inclusive foi ao Maracanã na final da Copa América, no último domingo, ao lado de Neymar. O São Paulo espera conseguir possibilitar a saída de Nenê nos próximos dias, como mostrou o diretor-executivo de futebol Raí. O contrato do veterano vai até dezembro apenas e os clubes mostram boa relação – já negociaram pelos atacantes Brenner e Calazans neste ano.
A vontade de Fernando Diniz de contar com Nenê aumentou com a indefinição sobre o futuro de Luciano, que pode deixar o Fluminense para defender o Atlético-MG. O técnico pensa em usar o meia bem próximo do centroavante, para aproveitar a capacidade de finalização de jogadas do veterano.
O Fluminense luta para ter Nenê desde janeiro e aumentou a carga quando Cuca assumiu o São Paulo e deixou o jogador disponível no mercado. As diretorias tentaram envolvê-lo no negócio por Calazans, mas as conversas não avançaram na ocasião. Fortaleza e Goiás receberam negativas de Nenê nos últimos meses.