SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Ícone da bossa nova, o cantor e compositor João Gilberto morreu neste sábado (6), aos 88 anos, no Rio de Janeiro. A informação foi anunciada pelo filho do músico, João Marcelo Gilberto, nas redes sociais.
A causa da morte ainda não foi divulgada. Além de Marcelo, ele deixa outros dois filhos, Bebel e Luísa.
Relembre abaixo os principais momentos da carreira do músico.

10.jun.1931
– Nasce em Juazeiro, na Bahia, filho de Juveniano Domingos de Oliveira (comerciante) e de Martinha do Prado Pereira de Oliveira.

1949
– Muda-se para Salvador, onde inicia sua carreira profissional integrando o cast de artistas da Rádio Sociedade da Bahia.

1950
– Muda-se para o Rio de Janeiro, onde integra o conjunto Garotos da Lua como crooner, com o qual grava, em 1951, dois discos de 78 rpm, lançados pela gravadora Toda América.

1952
– Inicia sua carreira solo, gravando um disco de 78 rpm para a gravadora Copacabana.

1955
– Reside em Porto Alegre e, no final do ano, parte para Minas Gerais, onde passa um tempo com a família, dedicando-se ao estudo do violão.

1958
– Acompanha ao violão a cantora Elizeth Cardoso na gravação de “Chega de Saudade” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes) e “Outra Vez”, faixas incluídas no LP “Canção do Amor Demais”;
– Grava um disco de 78 rpm contendo “Chega de Saudade” e “Bim Bom”, de sua autoria;
– Casa-se com Astrud Evangelina Weinert, que fica conhecida como Astrud Gilberto e se torna uma das cantoras mais importantes da história da música brasileira.

1959
– Lança outro 78 rpm em que grava “Desafinado” (de Tom Jobim e Newton Mendonça) e “Ho-ba-la-lá”, de sua autoria. Nesse mesmo ano, grava seu primeiro LP, “Chega de Saudade”, lançado pela Odeon, com produção musical de Aloysio de Oliveira e arranjos de Tom Jobim.

1960
– Grava o LP “O Amor, O Sorriso e A Flor”, também pela Odeon, com destaque para “Samba de Uma Nota Só” (Tom Jobim e Newton Mendonça), canção também emblemática da bossa nova.

1961
– Grava seu terceiro LP, “João Gilberto”, destacando-se “O Barquinho” (Roberto Menescal e Ronaldo Bôscoli).

1962
– Participa de concerto no Carnegie Hall, em Nova York, produzido pela Audio Fidelity Records e patrocinado pelo Itamaraty, com o objetivo de promover a bossa nova nos EUA.

1963
– Grava com Stan Getz o LP “Getz/Gilberto”. O disco conta com a participação da cantora Astrud Gilberto na faixa “The Girl From Ipanema”.

1965
– Casa-se com Heloísa Maria Buarque de Hollanda, a Miúcha;
– Recebe o Grammy (“Best Album”) pelo disco “Getz/Gilberto”.

1966
– Nasce, em Nova York, sua filha Bebel Gilberto. Nesse mesmo ano, foi lançado nos Estados Unidos o disco “Getz/Gilberto nº 2”.

1970
– Lança o LP “João Gilberto en Mexico”, com destaque para o bolero “Farolito”, de Agustin Lara, além de “O Sapo” (João Donato) e “De Conversa em Conversa” (Lúcio Alves).

1973
– Grava o LP “João Gilberto”, que inclui “Águas de Março” (Tom Jobim) e “Isaura” (Herivelto Martins e Roberto Roberti).

1976
– Lança o LP “Best of Two Worlds”, que conta com a participação de Stan Getz e Miúcha.

1978
– Volta ao Brasil para gravar especial de televisão, apresentando-se no Teatro Castro Alves (Salvador) e no Teatro Municipal (São Paulo).

1980
– Grava o especial “João Gilberto Prado Pereira de Oliveira” para a TV Globo, que conta com a participação de Bebel Gilberto e Rita Lee.

1982
– Participa do Festival de Montreux (Suíça), que rende o lançamento do CD duplo “Live at the 19th Montreux Festival”.

1987
– Recebe do governo brasileiro a Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho, no grau de comendador.

1990
– É lançado nos Estados Unidos o CD “The Legendary João Gilberto”, coletânea dos três primeiros LPs de João gravados na Odeon, que resulta num processo contra a EMI.

1991
– Lança o CD “João”, com destaque para “Ave-Maria no Morro” (Herivelto Martins), “Sampa” (Caetano Veloso) e “You Do Something to Me” (Cole Porter);
– Grava um jingle chamado Bossa Nova nº1, para a Brahma. Com produção sofisticada, o comercial é gravado no Theatro Municipal de São Paulo, com direção de Walter Salles e é acompanhado por uma série de eventos da Brahma.

1994
– Realiza concertos, tendo a filha Bebel Gilberto como convidada, no Palace (SP). Uma destas apresentações é gravada ao vivo e se torna o CD “Eu Sei Que Vou Te Amar”.

1999
– Em 29 de setembro, durante inauguração da casa de show Credicard Hall, em São Paulo, João Gilberto, que se apresenta com Caetano Veloso, faz duras críticas ao sistema de som, diante de uma plateia formada por políticos e convidados de patrocinadores. Vaiado, o músico mostra a língua, em momento flagrado pelo jornal Folha de S.Paulo, e diz que nunca mais se apresentaria no local novamente.

2000
– Lança o disco “João, Voz e Violão”, pela Universal Music, com produção musical de Caetano Veloso. O disco incluiu regravações de “Chega de Saudade” e “Desafinado”.

2001
– Recebe o Grammy na categoria Best World Music Album, pelo disco “João Voz e Violão”.

2003
– Apresenta-se (voz e violão) no Tokyo International Forum Hall A, no Japão.

2008
– Após 14 anos de ausência dos palcos cariocas, apresenta-se no Theatro Municipal do Rio, celebrando os 50 anos da bossa nova, sendo acompanhado pela plateia em coro, ao final do espetáculo, na canção “Chega de Saudade” (Tom Jobim e Vinicius de Moraes).

2009
– A revista DownBeat elege João Gilberto como um dos 75 melhores guitarristas da história do jazz e como um dos cinco maiores cantores de jazz.