SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Superada, com enorme dificuldade, a barreira paraguaia das quartas de final, o Brasil se prepara para seu próximo desafio na Copa América. Para isso, Tite decidiu despachar seus auxiliares para o Rio de Janeiro, onde eles observarão a partida entre Venezuela e Argentina, na noite de sexta-feira (28), às 16h.
É do confronto no Maracanã que sairá o adversário a ser enfrentado pela seleção na terça (2), em Belo Horizonte, pelas semifinais. Cleber Xavier, Fernando Lázaro e Dudu Bressane, que compõem a comissão técnica da seleção, estarão no estádio analisando os possíveis rivais na próxima etapa da competição.
Uma das atribuições do grupo enviado ao Rio será mapear a movimentação de Messi. Em caso de triunfo argentino, o jogador certamente merecerá atenção especial da eficiente defesa brasileira, que, em quatro partidas até aqui, ainda não sofreu nenhum gol na competição.
“A Argentina tem uma qualidade técnica individual muito grande”, afirmou Tite, lembrando que essa qualidade não tem resultado em um time eficiente. “O desafio da Argentina é acertar as peças em torno do melhor do mundo. O Messi é inquestionável”, acrescentou o comandante da seleção brasileira.
Apesar da reverência, a comissão técnica não trata como certa a classificação dos argentinos. Comandados por Lionel Scaloni, eles ainda não se encontraram na competição, perdendo para a Colômbia, empatando com o Paraguai e vencendo apenas o Qatar. Já a Venezuela, que empatou com o Brasil e está invicta no torneio, não é o saco de pancadas de outrora.
“Eu respeito muito o time da Venezuela”, disse Cleber Xavier, um dos escalados por Tite para ver o jogo no Maracanã. “Nos últimos seis jogos entre Venezuela e Argentina, foram dois empates e duas vitórias para cada lado. Temos que nos preparar para o adversário que vier”, declarou o auxiliar técnico, insistindo no respeito à equipe grená.