RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – O Flamengo surpreendeu a todos ao demonstrar interesse na contratação de Pedro, centroavante formado no Fluminense e que conta com grande identificação com a torcida rival. O enredo fica ainda mais curioso quando o próprio atacante corresponde ao flerte. Mais do que isso, a vontade do jogador é o que deve direcionar a negociação.
Isso, claro, desde que o Fluminense tenha suas vontades atendidas. Inicialmente o clube das Laranjeiras só negociaria pela multa rescisória de 50 milhões de euros (cerca de R$ 217 milhões). Porém, a reportagem apurou que o desejo do atleta faz com que a situação ganhe novos contornos e uma negociação já tenha sido aberta.
Desde que surgiu com faro de gol destacado, Pedro acumulou sondagens de gigantes europeus -caso do Real Madrid (ESP), por exemplo. Entre os números apresentados, uma coincidência: todos na casa de 12 milhões de euros (cerca de R$ 52 milhões) pelos 100% dos direitos econômicos do atleta. No entanto, a lesão no joelho em 2018 frustrou planos imediatos e pode até mesmo ter diminuído o valor de mercado do centroavante.
Neste cenário, o Flamengo apresentou uma proposta oficial. Segundo apurou a reportagem, os números são parecidos com os oferecidos pelos clubes europeus, mas por apenas 70% dos direitos econômicos. O Fluminense detém 50% do atleta, enquanto a Artsul fica com a outra metade. É sob este discurso, de ter uma proposta semelhante a de clubes europeus, que o time rubro-negro também aposta para convencer os tricolores.
Entre Flamengo e os representantes do atleta está tudo bem encaminhado. O clima de otimismo, inclusive, já toma conta das partes vislumbrando um acordo favorável. O fato é que ainda falta o “sim” mais difícil da negociação: o do Fluminense.
Em crise financeira, o time tricolor sabe que o dinheiro da possível venda de Pedro representaria grande alívio até o fim do ano, proporcionando salários em dia -algo raro nas últimas temporadas. O problema é que vender uma de suas maiores joias e para um rival já gera desgaste interno para uma diretoria recém-empossada.
Em meio ao impasse, o clube tricolor tentará de tudo para ao menos para sair da negociação em uma boa situação. Além da proposta de nível europeu, o clube das Laranjeiras tentará manter parte dos direitos econômicos para lucrar em uma futura venda.