SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Em outubro do ano passado, Anitta, 26, se lançou no mercado audiovisual infantil ao estrear “Clube da Anittinha”, desenho animado que retrata a vida da cantora de forma lúdica e musical no Gloob, canal de TV infantil da Globo.
“Cada episódio eu escolho pensando no que eu gostaria de falar para o meu filho, se eu tivesse um filho. Como a importância do perdão e de conviver em família”, disse a cantora em evento da Globosat nesta quarta-feira (26). 
O seriado, até então, conta com dez episódios, mas Anitta garante que mais de 50 já foram encomendados. Na próxima temporada, serão abordados temas como a saudade e as diferentes formas de crianças brincarem, inclusive as mais humildes. 
“Foi muito da minha infância: eu não tinha muitos brinquedos, então fingia que o esmalte da minha mãe era um boneco. Em cada episódio tento trazer algo da minha infância ou passar uma mensagem que eu gostaria de passar.”
A escolha dos temas é da própria Anitta, que faz questão que os episódios mantenham um certo nível de comicidade para que adultos e crianças possam se divertir assistindo. Com cachorros que conversam e um trailer mágico, sua protagonista trata de questões como alimentação saudável, preservação do meio ambiente, ciúmes de irmãos e até a morte, usando como exemplo o cão Afonso, que Anitta teve.
“Eu acho muito mais fácil falar com criança do que com adulto. Acho que adulto procura cabelo em ovo em tudo, tem que ter cuidado com tudo o que você fala e estar atento 100%. Com criança você tem que ser prático, objetivo e passar as mensagens de maneira fácil e dinâmica. Eu amo crianças e tenho um lado meu bem criança.”
Por conta disso, ela diz que até hoje opina em tudo o que pode assustar ou agradar as crianças no “Clube da Anittinha”. “Eu ainda tenho medo de escuro, então às vezes, à noite, eu coloco desenho para assistir, não sei se é por eu ter esse lado meu”, brinca.
Nas músicas da animação, Anitta também faz questão de sempre usar a sua voz e os mesmos produtores e compositores musicais que trabalham com ela para conseguir “manter a qualidade”. A preocupação tem surtido efeito: recentemente, o desenho foi finalista da premiação internacional Festival comKids – Prix Jeunesse Iberoamericano 2019.
“Assim como a gente fez uma construção de marca com a Anitta adulta, estamos fazendo essa construção de marca com a Anittinha desenho”, diz. “Mas, para menos de um ano de desenho, a gente já está conseguindo bastante coisa […] Acho que com uns cinco anos de marca, a gente já vai ter uma coisa super sólida”.
Já nas redes sociais, fora dos desenhos, ela diz confiar no discernimento dos pais. “Os pais controlam muito o quanto o filho vai usar as redes sociais, se vai usar o YouTube Kids, o que ele vai assistir nos stories do Instagram… Independente do conteúdo, todo pai sabe que as redes sociais são para maiores de 18 [anos], e aí fica a critério dele, de acordo com o que ele acredita e da educação que cada pai vai passar para seu filho”.