SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Bruno César foi a contratação mais badalada de 2019 no Vasco. Vindo do Sporting (POR), o experiente meia -com passagens por Corinthians e Palmeiras- era visto como o homem a comandar o meio de campo da equipe, mas até aqui as coisas não saíram como esperado, o que motivou a diretoria a ir ao mercado em busca de um novo “camisa 10”.
O jogador disputou 22 jogos, fez três gols e tem sido reserva com o técnico Vanderlei Luxemburgo, algo que já vinha acontecendo com alguma constância no período de Alberto Valentim também.
Não está descartado, inclusive, que Bruno César deixe o Vasco antes do fim da temporada. De sua parte também há uma insatisfação em função dos atrasos salariais cruzmaltinos.
Pelo lado do tine cruzmaltino, há a possibilidade de se trazer um camisa 10 do exterior. O clube tem analisado minuciosamente o mercado, mas ainda não avançou em nenhuma frente.
Bruno César foi mais uma contratação viabilizada pela chamada “Turma do Quiosque”, grupo de vascaínos que tem por trás a empresa de agenciamento “Life Pro”. Antes do meia, chegaram por eles ao Vasco Leandro Castan e Maxi Lopez (que saiu mês passado através da Justiça do Trabalho).