SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O restaurante A Casa do Porco, do chef Jefferson Rueda, é a única casa brasileira entre os 50 melhores restaurantes do mundo eleitos pela revista britânica Restaurant.
O resultado foi anunciado nesta terça-feira (25), durante uma cerimônia em Cingapura. Da 79ª posição, registrada no ano passado, ele subiu para a 39ª.
Tido como o “Oscar da gastronomia”, o World’s 50 Best é uma compilação anual. Apesar de se chamar 50 melhores, o ranking vai além da meia centena —neste ano, por exemplo, foram 120 listados.
Parte da lista já havia sido revelada. Na última terça-feira (18) o prêmio divulgou os últimos colocados —da 51ª posição até a última. Como o restaurante de Rueda não apareceu, já havia uma expectativa de a casa de entrar na seleção principal.
Inaugurada em outubro de 2015, já com o salão lotado, a casa tem o porco como principal ingrediente. Localizado no centro de São Paulo, o misto de bar e restaurante oferece desde sushi feito com papada de porco até uma interpretação mais delicada do virado à paulista. É o primeiro restaurante da região central da cidade a atingir tal reconhecimento.
O estabelecimento de Rueda vai bem à frente das outras casas brasileiras, que só apareceram na lista dos últimos colocados. Antigo conhecido do ranking, o D.O.M., do Alex Atala, caiu 24 posições. Da 30ª posição, registrada no ano passado, ele desceu para a 54ª.
O D.O.M., que celebra 20 anos em 2019, apareceu na lista da Restaurant pela primeira vez em 2006, em 50° lugar. A melhor marca da casa de Alex Atala foi atingida em 2012, quando ficou em 4º lugar.
Outro paulistano da lista, o Maní, da chef Helena Rizzo, subiu do 83º lugar para o 73º.
Duas casas do Rio de Janeiro também apareceram na lista. O Lasai, do chef Rafa Costa e Silva, ficou na 74ª posição. Já o restaurante Oteque, do chef Alberto Landgraf, ficou no 100º lugar. É a estreia da casa no ranking.