O governo do estado de São Paulo vai estender o horário de funcionamento do transporte sobre trilhos nos dias de Jogos da Copa América, na capital. O Metrô e a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos vão funcionar pelo menos até a 1h da madrugada nos dias das partidas. O esquema começa nesta sexta-feira (14) para o embate ente Brasil e Bolívia, que acontece no Estádio do Morumbi, na zona oeste da cidade.

Haverá ainda reforço na quantidade de trens, nas linhas que atendem aos estádios, para diminuir o intervalo de espera dos passageiros. Para esta primeira partida, a Linha – 4 – Amarela do Metrô contará com 15 composições em vez das sete usadas normalmente. Segundo o secretário estadual de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, o tempo de espera nas plataformas deve ser de menos de 3 minutos.

Fachada do Estádio do Morumbi, na zona oeste de São Paulo.

Esquema especial no transporte sobre trilhos começa nesta sexta-feira (14) para o embate ente Brasil e Bolívia, no Estádio do Morumbi – Arquivo/Agência Brasil

Na Linha 9 – Esmeralda, da CPTM, dois trens extras serão colocados à disposição caso haja um aumento significativo no fluxo de passageiros. A linha faz integração com o Metrô na Linha Amarela, que tem a estação mais próxima ao estádio.

Um esquema semelhante deverá funcionar para os jogos que acontecerem em Itaquera, zona leste, na Arena Corinthians. Será ativado o Expresso Copa, que sai da Estação da Luz diretamente para a estação vizinha ao estádio. O trem especial sai a cada 30 minutos, começando a funcionar 2 horas antes dos jogos. A Linha 3 – Vermelha do Metrô terá, nessas ocasiões, cinco trens extras à disposição a depender da quantidade de passageiros.

Greve

O secretário Alexandre Baldy disse que a expectativa do governo é que os trabalhadores dos transportes sobre trilhos não paralisem as atividades na sexta-feira (14). O Sindicato dos Metroviários de São Paulo e o Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores do Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo anunciaram que vão aderir à greve geral contra a reforma da Previdência.

Estação Sumaré da linha verde do metrô de São Paulo.

Trens do metrô funcionarão em horários especiais nos dias da Copa América – Arquivo/Agência Brasil

“A nossa expectativa é que não haja a greve por parte dos metroviários e dos ferroviários. Tendo em vista uma decisão antecipada de uma desembargadora do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de que esse é um movimento abuhttp://imagens.ebc.com.br/z1Nu-dtTr4LlVxMEO0x8j1cFcDk=/463×0/smart/http://agenciabrasil.ebc.com.br/sites/default/files/thumbnails/image/rvrsa_abr_ebc_mobilidade_urbana_6.jpg?itok=eTNVzcdqsivo”, disse Alexandre Baldy ao anunciar as medidas para Copa América.

Segundo ele, a decisão determina que 100% do efetivo deve trabalhar normalmente e que foi estipulada uma multa de R$ 1 milhão no caso de descumprimento da decisão. “Não há nenhum pleito por parte de trabalhadores e trabalhadoras de qualquer uma das empresas perante o estado, onde os acordos foram celebrados durante este ano, e todos os questionamentos foram sanados. Então, nós não podemos parar um serviço essencial à sociedade, aos trabalhadores, em um dia normal de trabalho”.

Segurança

O efetivo policial nas estações de metrô e trem que atendem aos estádios ou fazem parte do sistema de integração para chegar aos locais de jogos deverá, segundo Baldy, ser quatro vezes maior do que o normal no dia das partidas. As estações contarão também, segundo o secretário, com um reforço no número de funcionários para garantir o atendimento da demanda extra.

O secretário de Estado da Segurança Pública, João Camilo Campos, disse que está sendo preparado um esquema especial para o campeonato desde fevereiro. “A Copa América para a Secretaria de Segurança começou no dia 15 de fevereiro. Há quatro meses nós estamos trabalhando nela”, ressaltou.

A Polícia Militar deverá realizar varreduras antibomba nos estádios antes das partidas.

Uma relação dos torcedores violentos, especialmente da Argentina e Chile, foi enviada ao policiamento de fronteira para evitar a entrada de desordeiros já identificados anteriormente no país.