BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O ministro da Economia, Paulo Guedes, corrigiu nesta terça-feira (21) o presidente Jair Bolsonaro durante cerimônia do hasteamento da bandeira nacional, no Palácio do Alvorada.
Além de ministros e assessores, a solenidade foi acompanhada por um grupo de crianças de uma escola pública do entorno da capital federal.
Ao final, o presidente conversou com os estudantes primários e disse que, no futuro, eles irão garantir a aposentadoria dos mais velhos.
“Quando vocês estiverem trabalhando, vão garantir a nossa aposentadoria, desse pessoal que está aqui atrás”, disse Bolsonaro, apontando para a sua equipe ministerial. 
Aos risos, Guedes fez sinal de negativo com a mão. “Nós vamos libertá-los desse peso”, disse aos ministros posicionados ao seu lado.
A proposta de reforma previdenciária proposta pela equipe econômica cria o regime de capitalização, no qual cada trabalhador teria uma espécie de poupança compulsória para garantir a sua própria aposentadoria.
No regime atual, chamado de repartição, os trabalhadores que estão na ativa ajudam a pagar os benefícios pagos aos aposentados.
Mesmo com a criação do regime de capitalização, o sistema de repartição continuaria existindo, mas a contribuição dos trabalhadores da ativa seria menor do que atualmente.
A capitalização é seria uma espécie de poupança adicional, para complementar a renda na aposentadoria, o que aliviaria as contas da Previdência das aposentadorias mais altas.